sábado, 25 de dezembro de 2010

Sopro de vida


Sentada em sua cama
deliciava-se com drogas lícitas
nada como uma noite a sós.

Em sua própria companhia
letargia pelos cômodos
cantava suas canções,
rodava em volta de seu eixo.

Era um sopro de vida
caída no meio do nada
vivendo o que parecia tudo.

Sorria, chorava
a ebriedade a controlava
livre de emoções
voando plena em ilusões.

Até que a felicidade a invade
como um vento fresco soprando no verão
ela deita-se no chão
e sonha pela eternidade
a sua própria solidão.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Bom natal a todos!

Eu estava fazendo este poema quando me surpreenderam com este vídeo. É algo que ilustra as dores do natal que não é feliz para todos. É isso, obrigada Felipe pelo vídeo =]
E um ótimo natal a todos!





Com o cachorro passeava
vendo pessoas cheias de pacotes entrando nas casas.
Da janela podia avistar a ceia
Mesa farta, com prataria e louças.

Um belo jantar esperavam
aqueles que pela porta entravam.
Será que ela podia ficar com os ossos?
Será que ela podia ficar com os restos?

O ano acabou e junto com ele
a esperança dela também.
Então, feliz natal!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Boas Festas


Fim de ano, e o que ela via não eram festas
Ela avistava o lixo jogado nas ruas
A miséria de quem perambulava com os pés no chão
Ela sentia a dor de quem não tinha o que comer.

Enquanto saía do carro, sonhava com algo melhor pra ela
mas e para aqueles que imploravam por um prato de comida?
e quanto aqueles que no vale das drogas jogaram seus corpos?
e quanto aos que não tem roupas para vestir no verão, quanto mais no inverno?

Natal, ano novo...felicidades!
É o que todos dizem, mas para quem?
pro mundo não deve ser.
Tudo que ela queria era ajudar a todos
mas como o faria sendo apenas uma,
e se tudo que ela vê não passa de um milésimo do que acontece?

Nada a ser feito ou muito para fazer?
Ela não sabe responder,
apenas sonha em um dia ver resultados.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Selinhos ^^

A L. Carvalho do blog Cartas Mortas me presenteou com alguns selos. Agradeço a ela, pelo belo presente que recebo de coração aberto, afinal se ela me mandou é porque ela recebeu e se ela recebeu ela mais que merece estes selos e o meu humilde reconhecimento além dos meus parabéns, é claro. Fico lisongeada por ter este reconhecimento tão grande, pois o que escrevo aqui é apenas um retrato mental do que vejo no cotidiano das pessoas icluindo eu mesma. Espero que cada vez mais pessoas recebam estes selos. Mais uma vez, obrigada L. Carvalho.

Estes são os selos:
Os dois primeiros são dedicados aos blogs que têm a escrita como foco (crônicas, poesias...). O terceiro é para os blogs que a pessoa mais gosta de frequentar.
E aqui vai a listinha:
Death by Caffeine
Dirransi
Reminiscência
Literatura & Gostosuras

Escutando o som da vida
Toca da Teka
( eu listei apenas os que olho rotineiramente)
Este outro selo tem como regra enumerar dez coisas sobre mim e indicar mais dez blogs...
As dez coisas sobre mim são:
- sou ranzinza
- gosto de ficar sozinha
- ouço música de acordo com meu humor
- gosto de mandar nas pessoas
- tenho um pitbull vira-lata (o nome dela é Keyla)
- gosto de pessoas estranhas
- problemas me atraem
- adoro Clarice Lispector
- junto moedas em uma lata do Mickey
- mudo de humor rapidamente

Os dez blogs eu não citarei, pois os que eu acho que merecem estão listados acima. Não são dez como diz a regra, mas eu gosto de burlar o sistema, então são apenas seis. Espero que os blogs indicados tenham gostado, qualquer erro comentem aí que eu corrijo.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Garden

Jardim deserto
apenas com folhas secas no chão
levantando vôo enquanto o vento passa.

Não existem flores desabrochando
não existem frutos nascendo
apenas árvores secas, com folhas constantemente caindo

o sol ainda pousa seus raios por ali
mas o efeito não é mais o esperado.

O jardim está opaco
faltam cores, alegria
mas ele permanece intactamente vivo.

Um homem anda por ali,
com olhar intrigante ele fotografa o jardim
"estranhamente adorável" ele pensou

em um banco sentou
e por ali permaneceu
até que a lua tomasse conta

dando um banho de escuridão
aquilo que apenas para os olhos do homem
era claro e vívido.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Hora errada


Atônito ele tentava falar com sua filha,
eram três da manhã e ele insistia.
Com apenas 5 unidades no cartão telefônico
ele suspirava a esperar.
Seu celular já estava longe, ele havia perdido
assim como perdera a hora, ao telefonar.
Assim como perdera a cabeça ao afastar-se.

Nada mais era do jeito que ele esperava
Nada era igual ao que ele sonhava
mas suas escolhas o levaram a isso
a essa terrível espera, enquanto as unidades desapareciam
assim como sete vidas de um gato perdido.

Ela estava dormindo, era tarde demais
Era tarde para ele telefonar, para ela atender
era tarde para ele continuar a viver.
Assim como era tarde demais para ele se arrepender.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Brincadeira!


Recebi esta brincadeira de A.B.Ferreira...obrigada!

As regras são as seguintes:

1- Você coloca a foto de tagged no post

2- Falar 10 ou mais coisas sobre você (qualquer coisa), 5 ou mais manias (esquisitices) suas, 5 ou mais coisas que te irritam, 5 ou mais coisas que você adora, 5 hobbies seus; 5 coisas que ninguém sabe sobre você; seu maior sonho; seu maior medo; as coisas mais importantes na vida pra você.OBVIAMENTE você não precisa escrever tudo; pode omitir algumas perguntas ou não responder. É uma brincadeira, não uma visita ao psicólogo!

3- Você ‘taggeia’ mais 5 pessoas para participarem da brincadeira!

Sobre mim:
sou preguiçosa, arrogante, mal-humorada, brincalhona, extrovertida, louca, gritona, surda (culpa dos fones de ouvido), exagerada, sombria, vingativa, rancorosa, pseudo-depressiva =P

Manias:
lavar a louça ouvindo música, dormir depois do almoço, escrever sobre a vida de quem conheço, deletar o mundo a minha volta quando ando, ser grosseira com quem não gosto.

Coisas que me irritam:

pessoas sem semancol, falar errado (tanto eu como os outros), cantadas de pedreiro, mulheres vulgares, breguice, pessoas sem conteúdo.

Coisas que eu adoro:
chocolate e seus derivados, minha família, meus amigos (inclui sair com eles), música, meu quarto, viajar, dormir.

Hobbies:
Encenar, escrever, ler, cantar (mesmo que desafinada), gastar dinheiro.

Coisas que ninguém sabe sobre mim:
o que acontece na minha mente, quais são meus pensamentos e meus desejos. Acho que isso basta.

Meu maior sonho:
ser feliz e satisfeita em tudo.

Meu maior medo:

perder as pessoas que amo.

Coisas mais importantes na vida:
as pessoas que eu amo.

Blogs para participarem da brincadeira:

http://ramononde.blogspot.com/
http://seguraminhamao.blogspot.com/
http://raawwrrforlife.blogspot.com/
http://tocadateka.blogspot.com/
http://guilhermeddutra.blogspot.com/

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Cabou-se o que era doce

Acabou, a fonte de inspiração se foi
Ninguém mais o vê escrevendo
Agora anda sozinho vagando pelas ruas
E o que era um sorriso virou,
mais uma vez, seu martírio diário.

Olhar-se no espelho não o satisfaz
Na verdade nunca o satisfez
mas saber que ele não era dele e sim dela
lhe trazia esperanças de melhorar.

Foi demais, foi impossível
revelou-se perfeito para alguém que julgou merecer.
Pq? Tantas perguntas e nenhuma resposta.
Ele havia desistido de procurá-las.

Mas ela voltou
trazendo junto aqueles sentimentos esquecidos
as pequenas fontes de alegria que
ele havia jogado no baú.

Desprezo, rancor
Tudo tornou-se dor
principalmente aquilo que ele, um dia,
chamou de amor.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Menina Tola


Menina tola, tão ingênua
que previu o futuro dele
Tentou protegê-lo, alertá-lo
mas como todos que amam
ele não deu ouvidos.

Menina tola, foi como ele a chamou
Depois de tudo que ela fez
Depois de tudo pelo que ele passou.
E justamente por tudo isso
que ele assim a apelidou.

Menina tola,
esteve por tanto tempo ao lado dele no buraco
que por lá permaneceu
Ele foi correr atrás do amor
e a amizade dos dois envelheceu.

Menina tola,
do buraco mais uma vez levantou
enquanto ele caía novamente
pois o amor sozinho o deixou.

domingo, 21 de novembro de 2010

Prêmio Dardos

Em primeiro lugar queria agradecer à Ritchy, do blog Bleeding Love, pelo prêmio. E em segundo lugar, mas não menos importante,gostaria de agradecer também os leitores e seguidores do blog que, sempre que podem, dão uma olhadinha e comentam.


Segue a proposta da homenagem:
"Prêmio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras.”


A ideia é que cada premiado homenageie mais 10 blogs.. então, aí vai:

Cartas Mortas
Caótizando
Me abraça de vez em quando
Reminiscência
Toca da Teka
ébrio
Literatura&Gostosuras
Razão pra viver
Dirransi
Bullshit

Obs: Gostaria de parabenizar um grande amigo que, neste sábado (20/11/2010), completou mais um ano de vida.
Parabéns Ricardo!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Previsão


Chuvisco, temporal, garoa
Olhos como o tempo, lacrimejando
O amor voa.

Dia cinza, tempo instável, nublado
Perdeu o foco, hipnotizada
O amor cega.

Sol, temperatura agradável, perfeito
Luz forte demais, encerrou-se
O amor isola.

Vento, brisa, vendaval.
Fim de estrada, encruzilhada
Amor fatal.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Sem Risco de ser Feliz

Para ler este poema, por favor coloque o vídeo como música de fundo!
Atenciosamente,
pâற Gαяdєи.


Pressa, a inimiga da perfeição
Ela corre contra o tempo
Anda sem direção.

A mata de selva, a deixa cega na multidão
As pessoas são como vento
perambulando sem emoção.

Passam carros, ônibus, motos
E ela dança, salta e rodopia.
Ela não pensa em assaltos.

Rola ladeira abaixo
dentro dessa sinfonia de motores.
Não se intimida com as buzinas
ela os mostra mil amores.

Então, onde não havia abraços
ela trouxe de volta os amassos.
Onde não havia carinho
ela doou emoção.
Onde não havia ela,
partiu um pedaço seu
e deixou como decoração.


sábado, 13 de novembro de 2010

O desprestigiado


Você, que largou o pão
para ficar com o vinho.
Você, que deixou a emoção
para viver sozinho.

Bate agora em minha porta
pedindo perdão de joelhos.
Mas nao pensou nas consequencias
quando saiu com a mala em punho.

Você, que sonhou alto
e errou o caminho.
Você, que fugiu em um salto
e azarou-se sozinho.

Não esqueça de sua escolha,
lembre-se da verdade.
Você que arquitetou sua sorte,
plantou a própria discórdia e,
agora, colhe os frutos da maldade.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Desafio

Com muita honra eu recebi, hoje, um desafio da Paju, do blog Reminiscência. A ela devo meus sinceros agradecimentos, primeiro por acompanhar o blog e segundo por sempre citá-lo. Bom, aí vai o desafio (falar um pouquinho sobre minha visão de como sou).

7 Coisas que tenho que fazer antes de morrer:
Visitar alguns países
Participar de uma famosa peça teatral
Ver meu irmão completar 18 anos
Viajar com as minhas amigas
Tocar em uma banda
Encontrar meus amigos depois de velhos
Dormir minutos antes de bater as botas


7 Coisas que mais digo:
Palavrão
Tri
Guri (a)
Letras de músicas
Eu quero
Hum
Não sei


7 Coisas que faço bem:
Escrever (eu acho)
Desenhos geométricos
Responder
Mentir
Dormir
Sumir
Fingir



7 Defeitos meus:
Arrogante
Egoísta
Preguiçosa
Mal educada
Pessimista
Indiferente
Mau-humorada


7 Coisas que eu amo:
Música
Um quarto só meu
Uma caixa de som potente
Minha família (pai, mãe, irmão, cachorro)
Livros
Velharias
Escrever


7 Qualidades:
Sincera
Justiceira
Bricalhona
Lutadora
Louca
Companheira
Engraçada


7 Pessoas pra fazer o jogo dos sete:
Marie (Literatura&Gostosuras)
L.Carvalho (Cartas mortas)
Vivian Mont'Alverne (Vai um cafezinho?)
A.B.Ferreira (Razão pra viver)
Luciana L. (I and my things)
Natiele Carvalho (Go!Runaway)
Ramon Oliveira (inspeções do espectador espectro introspecto )

Obrigada pela lembrancinha,
espero que tenham gostado =]

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Não há física


Como uma onda
você oscila em direção a mim.
Como um espelho
você reflete todo amor do mundo.
Como um homem
você vive como se não houvesse amanhã.

Mas ao redor de tudo isso,
ao redor dessa grandiosa terra,
existe uma pequena lua.
Um satélite natural
que não quer fornecer energia
é incapaz de produzir luz.

Vivemos,então, na escuridão
no ponto inicial de uma emoção.
Somos paralelos entre si
sem nenhum ponto em comum.

Vivemos, portanto,
essa constante negação.

Ele


Dor, sofrimento
sentimentos amargos
lhe causaram confusão.

Angústia no peito
por algo antes feito
e que agora torna-se ilusão.

Medo, pavor, ressentimento
pânico de atravessar
por um caminho que já trilhou.

Tornou-se um ser estranho,
uma incógnita difícil de ser resolvida.
Não merece alguém que tente desvendá-lo,
mas ainda existe quem quer estar ao seu lado.

sábado, 6 de novembro de 2010

Nowhere to go

Sentia-se confuso
incomodado com o passado
que o atormentava a cada passo que dava.

queria descansar
na segurança dos braços de alguém
algo que não fazia há muito tempo.

Mas esse alguém não existia
desde que sua diarista o deixou.
Nem mesmo ela ele conseguiu manter ao lado.

era exigente demais
consigo mesmo e com seus ideais
talvez por isso sentia-se tão incomodado.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Estrela Cadente


Sonhos, pesadelos
noites mal dormidas.
Entre idas e vindas
ele apareceu.

Como quem não queria nada
ele ficou, e ela esqueceu de mandá-lo embora.
Ela havia gostado do seu jeito
ela havia amado ter alguém especial por perto.

Ele foi ficando, cada dia mais próximo dela
e ela cada vez mais, gostando dele.
Não sabiam o que estava acontecendo,
talvez soubessem mas não gostavam de dizer tal palavra.

Pra eles aquilo era mágico
e o significado em letras pouco importava.
Os dias se passavam rapidamente
mas para eles as horas pareciam eternidades.

Cada dia mais juntos
um ao lado do outro
um sentindo a falta do outro.
E assim foi...e assim será.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Babel Jactante


Inveja, desamor, rancor
palavras refletidas em seu rosto
bordadas em suas roupas
correndo por suas veias.

Você que se diz tão superior
mas que guarda no peito
sentimentos de terror
vistos em seu jeito.

Transborda raiva
a cada encontro de olhar
sorri amarga
a cada passo que dá.

Você, moça tão inteligente
que encanta apenas os tolos.
Você, vilã enloquente
que não me tira mais o sono.

Apague meu número da sua agenda
Delete-me de sua memória
Finja que eu não existo
E, só assim, terá um pouco de glória.


Para entender o título:
Babel= Confusão de vozes.
Jactar-se= Expressar orgulho exagerado, vangloriar-se

terça-feira, 26 de outubro de 2010

No title


Sinto vontade de me derreter em lágrimas
De espernear como uma criança mimada
Queria sair gritando a minha dor
Andar pelas ruas com as lágrimas escorrendo pelo rosto
E somente elas para me acompanhar

Talvez se eu ouvisse música
Eu estaria mais calma
Mas apenas o silêncio tem gritado em meus ouvidos
apenas o silêncio me satisfaz.

Eu queria a liberdade
Um tipo de sonho que não conquistei
E, provavelmente, seja ingenuidade minha chorar por isso.
Mas, ainda assim, eu queria esbravejar
gritar, reclamar, e surtar como uma criança mimada.

Mesmo que não haja tanta dor em meu peito
Ainda que exista ódio maior que este
Meu coração tem batido aceleradamente
E meu cérebro tem trabalhado velozmente
Tentando fazer com que eu encontre paciência
e tolerância onde, nem mesmo, minhas mãos
conseguem acompanhar meus pensamentos.

sábado, 23 de outubro de 2010

Nada mais é igual

Tudo que eu tinha pra dizer fugiu da mente
Morreu junto com o ódio, a raiva e a vingança
Hoje eu já não sou mais o que era ontem
E o futuro é de esperanças
para que eu seja ainda menos eu mesma.

Não que ser eu mesma seja ruim,
mas a mudança que me rodeia a cada dia é grande
e deve prevalecer e permanecer viva
até o dia de minha morte.

Meus pensamentos, minhas prioridades
vão mudando com o tempo
e, neste exato momento,
eu sei que amanhã pensarei de outra forma.

Eu sei que aqueles que passaram por mim
tiveram uma grande história ao meu lado.
O que importa de tudo isso
é a forma com que cada pequeno laço
foi amarrado em minha memória.

Hoje sei que amanhã lembrarei disto
E o que quero lembrar é a parte boa
de escrever o que me vier a cabeça,
mas tudo que eu tinha pra dizer
fugiu, mais uma vez, da minha mente.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Um pouquinho de música

Esses vídeos são pra todas as pessoas que sentem saudades do System of a Down. A banda não é a mesma, como vocês vão ver, essa é a banda do Daron Malakian, e se chama Scars on Broadway. Caso gostem, ou não, por favor comente =]
Obrigada a todos por acessarem o blog.



PS:
Pra quem quiser acompanhar, essas são as letras das músicas> Serious, Whoring Streets

domingo, 17 de outubro de 2010

Cicatricial


Com o tempo as marcas em seu coração ultrapassaram a pele

Ela não conseguia mais esconder as cicatrizes

Eram profundas e dolorosas

Algumas ainda estavam abertas, o sangue escorrendo.

Na rua todos a olhavam com expressões de espanto.

Todos a chamavam de suicida, e ninguém a entendia.

Com o tempo ela aprendeu a ignorar os olhares, os comentários.

Aprendeu a conviver com as cicatrizes, com as marcas de dor.

Ela só não descobriu como parar de sangrar por amor.


sábado, 16 de outubro de 2010

Sonho invertido

odaduleva are oam aus ed euqot O
sodarepseni mare sojieb sueS
siam e siam mavazilsed soam sauS
ol-idepmi ed aiceuqse es ale E
ogoj essed siam zev adac odnatsog avatse alE
oproc ues o avarolpxe ele otnauqnE
eled oçocsep o avajieb alE
.sadirpmoc sahnu sa moc acun a avaiciraca E

racot edno etnemataxe aibas elE
aidepmi o oan ale euq zev ariemirp a arE
sotnuj siod sod zev ariemirp a arE
adacot res aireuq ale otnemom eleuqaN
.adama ritnes es aireuq ,adarolpxe res aireuq alE

laroproc rolac o iof uorbos euq o e marof es sapuor sA
sotnuj mavarip sele ,ogof avagep ragul O
.soçarba e ,sojieb ertne ,ortuo oa odaloc mU
.soçama e sotrepa ertne ortuo o odnitnes mU

sorrussus e sodimeg mare ,sacob e sarac marE
.sotnuj marahnos ,zev ed mareceuquolnE
.adiv a marazoG

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Fim de Gaiola (F.G.)


Ela foi impedida
Impedida de viver, de sair
Ela ficou presa em casa
E apenas seus livros a acompanharam.

A jornada foi longa
E tem sido muito dolorosa
Mas ela crê em um final feliz
Ela crê na vitória, na liberdade.

Hoje ela criou alguns vícios
algo que a solidão entre quatro paredes
consegue explicar.

Ela chorou, sofreu, sorriu
Agora ela só relembra,
os tempos em que sua liberdade
era a parte feliz de sua vida.

Ela ainda vê beleza nas coisas
mas não como antes
antigamente ela via os pássaros cantarem no parque
hoje ela mal os vê pela janela.

Na verdade o som dos carros tumultua sua audição.
Ela quer ir além, enxergar novos horizontes.
E no fim de tudo, no fim do martírio
ela colocará os livros na mochila
e sairá pelo mundo, como um pássaro saindo da gaiola.

sábado, 9 de outubro de 2010

Sonho fatal


Andava sob os trilhos

Sozinha e pensativa

Ela se lembrava de momentos

Que jamais voltariam.


Ele havia partido

Prometendo não voltar

Mas os pensamentos dela

Eram invadidos pela presença dele.


Não sabia como fugir

Na verdade nem queria

Ela apenas andava sob os trilhos

Enquanto ouvia a buzina


O trem aproximava-se

Mas ela andava distraída

Ela não fugiu não percebeu o que vinha

E, sem querer, acabou com sua própria vida.


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Flerte

Ele a beijou
Foi um beijo intenso, gostoso e provocante
E como uma boa moça, suas bochechas coraram
E ela escapou do flerte, fugiu dos braços dele.

Saiu correndo pela grama que reluzia o sol.
Então ele a pegou pelo braço, a apertou em seu peito e disse:
“Não fujas de mim, por mais longe que fores, eu a encontrarei.”
Então mais uma vez ela cedeu aos seus beijos enlouquecedores.

O sol se pôs em mais um dia no parque arborizado da cidade grande.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Então a agonia acaba

Ela achou que tinha matado a Menina
Mas a bala não a acertou
Ela sofreu por isso, pois a Menina se vingou
A Menina a procurou,
como quem não quisesse nada
E disse coisas terríveis,
como se fosse um juiz em um julgamento.

Então Ela calou-se,
mas não por aceitar as teorias da Menina
E sim porque sabia que julgar as palavras dela
não a tornaria forte.
Foi aí que Ela resolveu seguir em frente sozinha.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Preocupação

Depois de tanto tempo
Ela ainda se pega pensando nele.
Ela sente falta.

Ela o vê em sua mente
E isso acontece quase que constantemente
É inevitável não lembrá-lo
Os lugares que foram carregam a marca dos dois juntos.
Pelo menos para ela era assim.

Então ela sonha
Deslumbrada com o passado
O vê em sonhos muito bem guardados.

Para de prestar atenção na realidade
E se perde em perguntas mentais
Como ele está?
Será que a menina ainda o faz feliz?
Sua expressão facial melhorará?

Ela viaja em pensamentos
Perde-se na realidade
E, provavelmente,
vagará sozinha no futuro.

Selo de reconhecimento


Quero, em primeiro lugar, agradecer a todos que me presentearam com o selo de reconhecimento, MUITO OBRIGADA!

Vou dar preferência aos blogs que não receberam este selo (eu acho):
Escutando o som da vida
Death by Caffeine
Dirransi
Bullshit
Cartas Mortas
Fogo e Mel
I and my Things
Just say know
Wonderlando

Relações sobre o sentimentalismo...

E aí vai alguns blogs além dos 10 que eu tinha que citar:
Sutilmente
Pouca luz no fim do túnel
Pras bandas do sul

sábado, 25 de setembro de 2010

Lost

É noite e ela levanta-se da cama
Olha o espaço vazio ao seu lado
e lembra-se de quando ele ainda estava ali.

Mas agora o Ele nada mais era
que um espaço vazio.
Um vazio tão grande que a deixava sem chão.

Ela perdeu o rumo, perdeu a direção
Ela levanta-se da cama, mas não sabe pra onde vai.
Não quer nada além do que ele foi.
Ela só quer ele.

No passado ela sabia viver sem ele.
Eles nem se conheciam, não tinham se encontrado.
Mas depois de tanto tempo lado-a-lado.
Perdeu sua essência, entregou-se demasiadamente.
Agora sofre a perda, a perda não só dele
mas de tudo que ela já foi.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Sequestro


Dores que agridem meu corpo
somente para me torturar.
Saídas que não resolvem nada
só servem para me matar.
Feridas abertas sem curativo
são para não as curar.
Sangue escorrendo pelo piso
ninguém irá limpar.
Mãos dormentes que
não conseguem mais segurar.
Pessoas que nos abandonaram
essas não vão nem ligar.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

The Cure- Friday I'm In Love


I don't care if monday's blue
Tuesday's grey and wednesday too
Thursday I don't care about you
It's friday I'm in love

Monday you can fall apart
Tuesday, wednesday break my heart
Thursday doesn't even start
It's friday I'm in love

Saturday wait
And sunday always comes too late
But friday never hesitate

I don't care if monday's black
Tuesday, wednesday heart attack
Thursday never looking back
It's friday I'm in love

Monday you can hold your head
Tuesday, wednesday stay in bed
Oh thursday watch the walls instead
It's friday I'm in love

Saturday wait
And sunday always comes too late
But friday never hesitate

Dressed up to the eyes
It's a wonderful surprise
To see your shoes and your spirits rise
Throwing out your frown
And just smiling at the sound
And as sleek as a shriek
Spinning round and round
Always take a big bite
It's such a gorgeous sight
To see you eat in the middle of the night
You can never get enough
Enough of this stuff
It's friday I'm in love

I don't care if monday's blue
Tuesday's gray and wednesday too
Thursday I don't care about you
It's friday I'm in love

Mondays you can fall apart
Tuesdays wednesday break my heart
Thusrday doesn't even start
It's friday I'm in love

videoclip

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Atitudes

Ela lia impaciente
distante do livro.
Pensava em sentimentos,
tentava não se abalar,
não deixar que o azar tomasse conta
de seu corpo.

Mas a sede fez com que seus
olhos paralizassem
As imagens dentro de sua mente
fizeram com que os pêlos arrepiassem.

Agora o livro já não era importante
os pensamentos não eram mais de culpa.
Os desejos foram abafados, assim como as lágrimas.
E as palavras lhe acolhiam em abraços.

Os dias passados perderam a magnitude
As frases ouvidas já não tinham verdade
E o que ela queria era ainda mais grave.

Na falta de entendimento, não disse nada
Então guardou para si o que a machucava.