terça-feira, 23 de agosto de 2011

caminho

as pessoas a observavam
mas nada a fazia mudar.
suas roupas aos poucos rasgavam
e, mesmo assim, ela continuava a andar.

sem destino certo
ou rumo para seguir
ela ainda ficava por perto
daqueles que dela queriam fugir.

3 comentários:

  1. O caminho é sempre difícil.
    Gostei do poema.

    ResponderExcluir
  2. Só agora ao reler sentir o gosto da morte transpassar este poema.

    ResponderExcluir